OPORTUNIDADE DE EMPREGO: COMO CONQUISTAR A VAGA

OPORTUNIDADE DE EMPREGO: COMO CONQUISTAR A VAGA

QUERO TRABALHAR: COMO CONQUISTAR UMA VAGA NA CRISE?

Há duas maneiras de encarar uma crise: deixar se abalar pela quantidade assustadora de desempregados e consequentemente concorrentes ou fazer diferente e pensar acima da média.

Empresas imediatistas e despreparadas estão demitindo sem estratégia e estão com sua equipe ainda mais desengajada. Na contramão, temos empresas se reestruturando, repensando seu modelo de negócio, blindando sua equipe atual e sim, contratando novos talentos.

Nasce a necessidade de um novo perfil de colaborador, agora um bom currículo (competências técnicas) é apenas o primeiro degrau, o comportamento do candidato e sua adaptabilidade à cultura da empresa tem mais peso.

Portanto, possuir ou não experiência anterior é um detalhe. Mais vale brilho nos olhos e atitude para fazer a diferença.

É possível tirar proveito das redes sociais?

Elas podem ajudar ou atrapalhar, cuidado com o que você posta.

A maioria das vagas estão disponíveis de forma gratuita, é crucial estar cadastrado nos sites de empregos e diretamente nas empresas.

O linkedin é uma ótima dica, pois somos o terceiro país com maior número de usuários no mundo. Ou seja, além de vagas há chance de networking.

Empresas exigem do candidato à vaga um período de experiência na função mesmo para quem é iniciante?

Para cargos iniciantes a experiência não é primordial, recrutadores estão atentos aos comportamentos. O candidato deve pensar em exemplos reais da sua rotina que comprovem atitudes e qualidades. Por exemplo: “Quando eu tinha 9 anos, tinha vontade de estudar inglês, mas meu pai não tinha condições. Então eu ia todos os dias na escola para tentar falar com o diretor e conseguir uma bolsa, até que ele me concedeu. Minha premissa era tirar notas acima de 9,0… foi quando tudo começou”.

Percebe? Quando o candidato fala de sua vida fica evidente sua forma de pensar e agir, é assim que as empresas identificam talentos e comportamentos acima da média.

Há cada vez mais pessoas com diploma na mão sem oportunidade de trabalho ou com salários ultrajantes. E agora?

O problema começa no nosso ensino, não somos preparados para a escolha da profissão e nem para o mercado de trabalho. Há muita teoria, pouca prática e quase nenhuma preocupação com a inserção após o diploma.

Há empresas se aproveitando do momento para reduzir ainda mais os salários, triste. Mas quem quer fazer a diferença pensa em soluções e busca as melhores oportunidades.

A verdade é que, na maioria das vezes, começamos a busca por emprego cheio de dúvidas e sem saber a quem recorrer. É importante ressaltar que, há profissionais que dão esse suporte e que tem muita informação gratuita na internet. Para encurtar o tempo de espera por uma oportunidade é preciso usar o tempo livre se preparando melhor.

Para quem está buscando emprego eu sugiro algumas perguntas: Tenho aderência às novas exigências de mercado? Me sinto pronto para disputar oportunidades? Me destaco em algum ponto das pessoas com a mesma formação ou bagagem?

Há um novo perfil que as empresas buscam, como melhorar e quais profissionais podem ajudar?

Quem está acompanhando e se adaptando às novas tendências se mantêm desejado pelo mercado e tem mais facilidade de se empregar, isto é empregabilidade.

O novo perfil é um conjunto de conhecimentos técnicos e comportamentais, resultados e produtividade são palavras de ordem. A demanda é por mão de obra qualificada e preparada, com liderança, pró-atividade e adaptabilidade para trazer soluções em situações adversas.

Se o jovem se fizer aquelas perguntas perceberá onde está seu maior desafio. As lacunas variam muito: podem estar na escolha de uma carreira a seguir ou na transição para outra em que se identifiquem mais, podem estar relacionadas à parte técnica (graduação superior, idioma extra, cursos extras para áreas específicas) ou ainda à parte comportamental (dificuldades para falar em público, se relacionar em grupo, problemas de liderança, desmotivação e outros).

Para cada gap um caminho, mas acredito que orientadores vocacionais, psicólogos e coaches podem ajudar. Eu tenho grandes resultados com meus clientes e ofereço vários serviços que vão desde coaching ao programa S.O.S. Emprego.

O S.O.S. foi criado para ajudar em todas nas etapas quem envolvem a busca por emprego e surgiu da dificuldade encontrada dentro da minha família. Uma prima de 23 anos, estudante de Engenharia na UFRJ, fluente em duas línguas, com vivência fora do país que se sentia insegura e desqualificada para disputar vagas. Há um ano ela estava em busca de estágio, quase nunca era chamada para entrevistas e quando ia não passava. Começamos a trabalhar sua motivação, autoimagem e decisão, depois ajustamos o currículo, Linkedin e os cadastros nos sites, até chegarmos nos acompanhamentos entre as fases das seleções que foram pintando. Ela foi aprovada em duas multinacionais disputadíssimas e dali para frente montei o programa. Hoje, coleciono cases de todos as idades e desafios superados.

QUER SABER MAIS? CONFIRA NO LINK AS DICAS QUE EU DEI PARA O JORNAL DA ORLA http://www.jornaldaorla.com.br/jornalimpresso/949/

Ahhhh….eu preparei uma aula GRATUITA E 100% ONLINE sobre LIDERANÇA DE DE ALTA PERFORMANCE 😉 Acesse: http://clubemonetizar.com/lp/palestra-convite/

Deixe uma resposta